Podologia
Tratamentos

Frieira

Frieira nos pés ou pé de atleta o que voce precisa saber
 
O que é Frieira?
 

tinea pedis.jpg

É Micose que acomete os espaços interdigitais dos pés. e o nome cientifico é Dermatofitose, popularmente chamado também de pé-de-atleta ou ainda tinha dos pés.  A Dermatofitose é infecção causada por diversos tipos de fungos, mas os mais comuns são Tricophyton rubrum, o Tricophyton Mentagrophytes e o Epidermophy Floccosum, e é bastante muito comum nos adultos, durante o verão.
É conhecida também como Dermatofitose eczematóide dos pés e pode afetar tanto o dorso como a planta ou os espaços interdigitais dos pés. A frieira interdigital é a mais comum, considerando-se que os espaços entre os dedos são áreas naturalmente quentes e úmidas, o que facilita o crescimento do fungo.
A frieira nos pés pode se desenvolver de forma aguda ou crônica.
 
Quais os sintomas?
 
Na frieira é frequente o aparecimento de dois ou três dos seguintes sintomas: Prurido, eritema, escamas, vesículas, queratose e fissuras na pele, geralmente entre os 3º, 4º e 5º dedos.
As lesões podem se expandir e acometer também a sola do pé.
Como a frieira provoca fissura ou micro bolhas na pele. Este Quadro pode se complicar com infecção bacteriana secundária, que se desenvolve no liquido aquoso das bolhas.
A micose da unha (onicomicose) freqüentemente está presente junto com a frieira. Outro sintoma possível da frieira é o mau cheiro dos pés. 
 
Fatores de risco
 
Calçar com frequência meias úmidas ou calçados apertados.
Compartilhar esteiras, tapetes, meias ou sapatos com alguém que tem uma infecção fungíca.
Andar descalço em áreas públicas onde a infecção pode se espalhar, como vestiários, saunas, piscinas, banheiras e chuveiros comuns. Ter um sistema imunológico enfraquecido.
 
frieira.jpg

Os fatores que podem aumentar o risco de frieiras incluem:
 
Exposição ao frio por isso, as frieiras são mais comuns em épocas e regiões mais frias
Má circulação: as pessoas com má circulação tendem a ser mais sensíveis às mudanças de temperatura, tornando-as mais suscetíveis de ter frieiras
Sexo feminino: as mulheres são mais suscetíveis de ter frieiras por motivos não conhecidos, uma das hipóteses é o uso de sapato apertados na frente.
Baixo peso: pessoas que pesam 20 por cento menos do que adequado para a sua altura têm um risco aumentado de frieiras.
 
Complicações
 
Infecção da frieira pode se espalhar para outras partes do seu corpo, incluindo: Sua mão. Pessoas que arranhar ou pegar nas partes infectadas dos seus pés, podem desenvolver uma infecção semelhante em uma de suas mãos. Suas unhas. Os fungos associados com o pé de atleta, por conseguinte, pode infectar as unhas do pé, um local onde tende a ser mais resistente ao tratamento. Podendo ainda se complicar com o aparecimento da erisipela dependendo das condições de saúde da pessoa.
 
Tratamento
 
Conforme for o tratamento pode durar até duas ou três semanas. Fungos estão em toda parte, principalmente em locais úmidos, e fechados. Assim pessoas que costumam andar descalças, tendem mais chances de serem atacadas por fungos. o compartilhamento de objetos pessoais, ou piscina, são fatores no quais as pessoas acabam adquirindo fungos. O tratamento da frieira pode ser feito com pomadas antifúngicas, muitas delas vendidas sem necessidade de receita médica.

Tratamento de frieiras preventivo que o podólogo indicaria

Lavar os pés diariamente e secar bem principalmente entre os dedos;

Deixar os sapatos em local arejado um dia para o outro;

Troque as meias todos os dias, dê preferência as de algodão;

Se possível alternar sapatos.

Passar talco anti-séptico nos pés e não no sapato.

Usar meias de algodão;

Usar chinelos de borracha em chuveiros  ou vestiário público.

Antes de usar os sapatos que estão guardados, de uma estação para a outra (muitas vezes estão mofados) fazer um limpeza geral nos mesmos:
 
Aqui uma receita de higienização dos sapatos
Uso de Lysoform Spray

Passar dentro dos sapatos colocá-los dentro de um saco plástico por 24 horas.

Retirar e colocar mais 24 horas em local arejado.

Tirar o excesso de poeira com um pano levemente úmido.

Repetir a cada 4 meses.
 
Solução para limpeza do calçado:

Meia xícara de chá de água sanitária ( Q`boa);
 
Duas xícaras  de chá  de álcool;

Três e meia xícaras de chá de água.

Passar um pano úmido com esta solução nos calçados e colocar ao sol para secar.

Repetir semanalmente.
 
Faça prevenção:

Uso de óleo melaleuca para a prevenção de micoses, tem ação antifúngica, cicatrizante, hidratante e alivia a pressão da unha, por ser anestésica.

Modo de usar: 2  gotas 2x ao dia,  friccionar o local.

 

Venha conhecer a clínica dos pés e faça a sua avaliação

Avaliação Gratuita